6 de junho de 2017

Melhor período para observar gaviões-de-penacho na Mata Atlântica

Agora é um dos melhores períodos para procurar os Spizaetus spp. na Mata Atlântica. Na imagem, gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) em voo sobre a floresta. Urubici/SC.
Agora é um dos melhores períodos para observar os gaviões-de-penacho (Spizaetus ornatus, S. tyrannus e S. melanoleucus) em voo na Mata Atlântica. Junho e julho é o período das paradas pré-nupciais dessas espécies, nessa época essas aves estão mais ativas e vocalizam com mais frequência, ou seja, são mais detectáveis.

O gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) por exemplo, bastante raro e discreto, passa boa parte do ano oculto na floresta, dificilmente planando acima da copa das árvores ou vocalizando. Na Mata Atlântica, nos meses de junho e julho a espécie realiza voos acrobáticos de cortejo, mais ou menos ritualizados, voando alto acima da floresta com perseguições e mergulhos no céu, por vezes se tocando no ar.

Portanto, junho/julho é um dos melhores períodos para ir a campo procurar o gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) e as outras espécies do gênero Spizaetus. Regiões como a de Urubici e Urupema em SC, Morretes/PR, Iporanga/SP, Santa Teresa/ES, São Desidério/BA e outros lugares da Mata Atlântica que ainda contam com alguns remanescentes florestais preservados, são propícios a observação dos Spizaetus.

Durante um trabalho de campo no entorno do Parque Estadual da Serra do Mar, em Caraguatatuba/SP, semana passada, pude registrar em um mesmo dia e na mesma localidade, casais das três espécies de Spizaetus. Primeiro, por volta das 10:20, avistei dois gaviões-pato (Spizaetus melanoleucus) voando alto sobre a mata. Depois, por volta das 10:50, registrei um casal de gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus) em voos circulares, e minutos após o avistamento dos S. tyrannus, um casal de gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) levantou voo na floresta, circulando próximo ao casal de S. tyrannus. O casal de S. ornatus ficou voando  por mais de 20 min sobre a floresta, até que o macho se aproximou da fêmea e desceram na mata. Nos dias seguintes, retornei ao local no mesmo horário, e as três espécies de Spizaetus foram novamente registradas.

Spizaetus spp registrados em ponto fixo na borda de um trecho preservado de floresta, Caraguatatuba/SP. 1. Gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) em voo circular,. 2. Gavião-pato (Spizaetus melanoleucus), 3. gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus), 4. casal de S. ornatus em voo de cortejo.
Vale ressaltar que, para observar essas aves é importante estar em um local adequado. O ideal é permanecer em um ponto com um bom campo de visão, como na borda de uma floresta, no alto de uma torre de observação, em uma trilha suspensa, no interior de vales, encostas, e etc. Quanto ao horário, o período entre o final da manhã e início da tarde (entre 9:00 e 12:00 h) são os mais adequados, pois é nesses horários que as correntes de ar ascendentes estão mais favoráveis e essas aves aproveitam para planar e/ou se deslocar pelo seu território.

Exemplo de um local adequado para observação de Spizaetus spp. Área elevada com um bom campo de visão do dossel da floresta. Local: Margem de uma estrada rural, Morretes/PR.
Também é necessário muita atenção a qualquer “pontinho” voando longe ou alto no céu. Espécies como o gavião-pato (S. melanoleucus), costumam voar muito alto, podendo facilmente passar despercebido pelos observadores ou ser confundido com outras espécies comuns.

Mais informações sobre horários de observação e técnicas, recomendo a leitura da postagem deste link.

Nenhum comentário:

Postar um comentário