26 de dezembro de 2018

Nova espécie de águia para o Brasil

No último mês, o ornitólogo e engenheiro florestal Tony Bichinski registrou uma nova espécie de ave para o Brasil: a águia-solitária (Buteogallus solitarius).

Tony encontrou a ave durante uma pesquisa de campo que conduzia nas florestas de encosta da Amazônia roraimense. Era um indivíduo adulto, cuja coloração e grande porte chamaram a atenção do pesquisador que imediatamente garantiu o registro fotográfico. Trata-se do primeiro indivíduo da espécie em território brasileiro.
A águia-solitária é uma poderosa ave de rapina com distribuição descontínua nas florestas montanhosas dos Andes e da América Central. É uma ave rara, com baixas densidades populacionais em toda sua distribuição. Possui tamanho e peso similar ao da águia-cinzenta (U. coronata), com fêmeas medindo de 70–75 cm e peso de até 3 kg.

Os especialistas em ecologia e identificação de rapinantes, Willian Menq e Frederick Pallinger, tiveram acesso as fotografias e não tiveram dúvidas quanto a identificação da espécie. Algumas características como os tarsos grossos, primárias ultrapassando a cauda e coloração cinza-chumbo da plumagem foram suficientes para confirmar a identificação e descartar espécies similares (ex. Buteogallus anthracinus, Urubitinga urubitinga e Urubitinga coronata).

Sempre houve uma expectativa que a águia-solitária fosse um dia registrada no Brasil, especialmente na região norte, onde há registros na Venezuela e Peru a cerca de 200 km da fronteira brasileira (Roraima e Acre).

Um artigo com maiores detalhes do registro está sendo confeccionado pelo pesquisador, em breve será publicado em uma revista especializada.

Águia-solitária (Buteogallus solitarius) registrada pelo ornitólogo Tony Bichinski em Roraima.
Trata-se do primeiro registro da espécie em território brasileiro.

20 comentários:

  1. Que .maravilha, ainda ontem li sobre essa espécie.👋👋

    ResponderExcluir
  2. Que bacana Tony! Parabéns também a Willian Menq e Frederick Pallinger! Ótimas notícias!

    ResponderExcluir
  3. Excelente notícia. Parabéns a todos os envolvidos nesta descoberta.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Tony, pela excelente descoberta dessa imponente rapinante em solos brasileiros. Pelos meus cálculos, trata-se da centésima ave de rapina registrada no Brasil.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho mais registros dessa ave! Vi uma aqui no Rio Grande do Norte no município de Goianinha. Ela era pontual e passou mais ou menos uns 3 meses no mesmo lugar, sendo vista no mesmo ponto. Sou estudante de biologia mas não imaginava que fosse uma nova espécie!! Se quiserem mais registros dele, podem falar comigo. Ela tem um detalhe branco/cinza embaixo da cauda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://registroshelmy.blogspot.com/2018/12/gaviao-solitario.html

      Excluir
    2. Helmy, sua foto é de um gavião-caramujeiro.

      Excluir
    3. Caramba! Vcs são muito feras. Realmente parece ser um Gaviao-Caramujeiro, pelo detalhe na cauda e os olhos vermelhos. Não conhecia a espécie. É uma ave belíssima! Obrigado!

      Excluir
  6. Acho que avistei uma aqui em Paraty também, na Mata Atlântica, pode ser? Ela come cobras?

    ResponderExcluir
  7. Helmy e Marcia, provavelmente vocês estão vendo o gavião-preto, que é muito parecido e comum em todo o Brasil. Esta águia é restrita a zonas montanhosas da região amazônica, andina e América Central.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://registroshelmy.blogspot.com/2018/12/gaviao-solitario.html algumas fotos da ave que fotografei.

      Excluir
  8. Muito legal


    Super feliz.....sabia que mais cedo ou mais tarde iria aparecer... só que pela distribuição, imaginava ser no Acre.
    Este e um objetivo antigo, parabéns Tony...sucesso total!!!!

    ResponderExcluir
  9. Mais uma prova que devemos preservar ... ainda conhecemos muito pouco do que temos!

    ResponderExcluir
  10. "Trata-se do primeiro indivíduo da espécie em território brasileiro." É preciso fazer uma ressalva: é a primeira dessa espécie a ser documentada no Brasil – ninguém pode dizer que não estivesse presente antes no território brasileiro, sem ser documentada.

    ResponderExcluir
  11. boa noite , exitem em algum lugar da america do sul que estão reabilitando essa animal para a natureza ou um criador no peru ou venezuela , duas especies de aves que devem ser tratado com uma atenção , águia cizenta e águia solitaria . forte abraço

    ResponderExcluir
  12. Nossa, muito parecida com o gavião-preto hein! Parabéns pela descoberta, amigos!

    ResponderExcluir