14 de janeiro de 2019

Casal de harpias confinadas em um pequeno fragmento florestal

Foto: Carlos Tuyama.
Em Rolim de Moura, Rondônia, um casal de harpias sobrevivem em um fragmento florestal de pouco mais de 350 hectares (3,5 km²). O casal possui um ninho ativo no fragmento, que é cercado por pastagens e lavouras de soja. Possivelmente seja uma das menores áreas a suportar um casal de harpia reproduzindo-se.

Carlos Tuyama, pesquisador do Projeto Harpia - Núcleo Rondônia, está monitorando esse e outros 11 sítios reprodutivos de harpias na região, sendo desses 7 ninhos ativos.

De acordo com o pesquisador, o casal está confinado no fragmento. Normalmente caça mamíferos arborícolas no interior da mata, como macacos e preguiças, e mamíferos terrestres, como quatis, gambás e tatus, além de aves (araras, mutuns) e mais raramente répteis.

Em habitats pouco alterados, a harpia raramente caçaria na borda ou em área aberta. No entanto, Carlos Tuyama já registrou a fêmea capturando um tatu na pastagem, a cerca de 250 m da borda mais próxima da mata.

Foto: Harpia (Harpia harpyja), fêmea adulta. Foto: Carlos Tuyama.

Fêmea adulta na borda do fragmento. Apesar do acelerado desmatamento na região, as harpias e a natureza ainda resistem. Foto: Carlos Tuyama.

Um comentário:

  1. O ser humano está acabando com a natureza ai as aves tem que virar para sobreviver em pequenos espaços

    ResponderExcluir