20 de julho de 2016

Observando aves de rapina em Rio Claro/SP

A região de Rio Claro/SP é conhecida por apresentar uma elevada riqueza de aves de rapina. Das 99 espécies de rapinantes existentes no Brasil, pelo menos 45 já foram registradas no município e arredores. Apesar da elevada riqueza de rapinantes, encontrar boa parte dessas espécies na natureza não é nada fácil. A maioria são ariscas, inconspícuas, possuem populações pequenas e esparsas, necessitam de áreas de vida relativamente grandes e muitas vezes podem habitar locais de difícil acesso.

Neste ultimo final de semana, dias 16 e 17/07, ministrei em Rio Claro/SP um curso sobre observação e fotografia de aves de rapina diurnas e noturnas. O curso, voltado principalmente aos observadores de aves, abordou as diferentes técnicas de procura e observação de rapinantes (como, quando e onde observar gaviões ou corujas); panorama geral das aves de rapina do Brasil (ecologia e comportamento do grupo, espécies mais raras, desconhecidas, migratórias); os melhores locais para observação de rapinantes no Brasil (detalhes sobre acessos, pontos, espécies que podem ser avistadas, etc.); além de temas bastante discutidos entre os birdwatchers, como o uso adequado do playback em aves (especialmente em rapinantes florestais e corujas).

Na noite de sábado fomos “corujar” na mata do Parque Florestal Edmundo Navarro de Andrade. O ponto alto da corujada foi quando observamos um casal de coruja-listrada (Strix hylophila) copulando. Já na manhã de domingo, fomos observar aves, especialmente rapinantes, na região da serra do Canta Galo em Itirapina/SP. Além dos vários urubus-rei (Sarcoramphus papa) e gaviões avistados, tivemos a oportunidade de encontrar a águia-cinzenta (Urubitinga coronata), espécie ameaçada de extinção no Brasil e extremamente rara na região de Rio Claro. Aparentemente era um indivíduo subadulto, observado de muito longe sobrevoando próximo aos paredões da serra. O domingo encerrou-se com o registro de um casal de jacurutu (Bubo virginianus), simplesmente a maior coruja do Brasil e uma das mais possantes da América.

O curso resultou em mais de 100 espécies de aves avistadas, sendo 17 de aves de rapina, além de muitas amizades e emoções. Agradecimento especial ao Geraldo Panucci, da Birding Brasil, responsável por toda organização e divulgação do curso no município.

Participantes do curso momentos antes da corujada.
Murucututu-de-barriga-amarela (Pulsatrix koeniswaldiana) observada na noite de sábado.
Observando corujas no Parque Florestal Edmundo Navarro de Andrade
Pica-pau-do-campo (Colaptes campestris) realizando comportamento de tumulto sobre o falcão-de-coleira (Falco femoralis).
Jacurutu (Bubo virginianus) registrada na tarde de domingo.
Águia-cinzenta (Urubitinga coronata), subadulta, sobrevoando a serra do Canta Galo.
Lista das espécies registradas no domingo:
Lista das espécies registradas no sábado:
http://www.taxeus.com.br/lista/8261

2 comentários:

  1. VALEU WILLIAN MENQ PELO EXCELENTE CURSO! MUITO OBRIGADO POR COMPARTILHAR CONOSCO TANTO CONHECIMENTO EM TÃO POUCO TEMPO!PARABÉNS PELA ÉTICA PROFISSIONAL !

    ResponderExcluir
  2. Em nosso condomínio apareceu uma coruja acredito que seja uma orelhuda

    ResponderExcluir