7 de maio de 2016

As buraqueiras de olhos escuros

A algum tempo atrás me deparei com essa fotografia da coruja-buraqueira (Athene cunicularia) de olhos escuros, registrada por Gustavo Pinto em Americana/SP. É um registro muito interessante, é uma característica incomum e rara para a espécie, que tipicamente apresenta íris amarela.

Indivíduo de olhos escuros
 Foto: Gustavo Pinto.

Outras corujas brasileiras, como a corujinha-sapo (Megascops atricapilla) e a corujinha-do-sul (Megascops sanctaecatarinae) é relativamente comum a presença de indivíduos com olhos castanhos. Já na coruja-buraqueira, é o primeiro caso que eu vejo no Brasil.

Pesquisando sobre o assunto, descobri vários casos de buraqueiras de olhos escuros na cidade de Marco Island, Flórida/EUA (link). Por lá, foram relatados indivíduos com olhos de cores variadas: castanhos, âmbar mesclado com amarelo, marrom-escuro e até um curioso relato de um casal com o macho apresentando olhos azuis, fêmea com olhos castanhos e dois filhotes de cores diferentes, âmbar e marrom. Há também outros casos de jovens com olhos castanhos ou marrom-escuro que mudaram para o amarelo assim que atingiram a idade adulta.

De acordo com a pesquisadora Nancy Richie, que monitorou por alguns anos as buraqueiras de Marco Island/FL, a alteração na cor dos olhos é causada pela presença de um gene recessivo responsável pela cor da íris, herdado pelos pais, sendo os olhos amarelos a cor dominante. Dessa forma, se um casal adulto com estes genes recessivos se acasalar, poderão produzir filhotes com olhos diferentes.

À direita, indivíduo de olhos mesclados.
Foto: Nancy Richie, Florida/EUA.
Filhote de olhos marrom.
Foto: Nancy Wilkins, Piccolo Park (Hollywood, FL)

Indivíduo jovem de olhos marrom.
Foto: Steven Wildman, Florida/EUA.

Agora, na próxima vez que visualizar uma coruja-buraqueira, que tal olhar a cor de seus olhos? Você poderá estar diante de um indivíduo diferente.

3 comentários:

  1. Que massa. Eu não sabia disso. Muito bom saber.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Fotografo corujas buraqueiras a um tempo mas não tive o privilégio de encontrar uma assim. Ficarei mais atento a isso agora. Interessantíssima essa matéria.

    ResponderExcluir