30 de março de 2016

O uso do playback nas aves de rapina

Caburé-acanelado (A. harrisii), fotografada
após playback. Campos do Jordão/SP.
Foto: Willian Menq. 

*por Willian Menq.

Observar corujas e falcões-florestais (Micrastur spp) não é uma tarefa fácil. Os contatos visuais com essas aves são difíceis, na maioria das vezes são mais ouvidas do que vistas. Assim, não é raro ver observadores de aves ou fotógrafos usando a técnica de playback para atrair e fotografas aves.

É inegável que a técnica aumenta as chances de detecção de muitos rapinantes florestais, com ele é possível observar espécies que raramente seriam vistas ao acaso. Porém, o uso incorreto e irresponsável do playback pode espantar ao invés de atrair as aves, ou pior ainda, estressá-las. Existem poucos estudos sobre os impactos do uso do playack na avifauna, mas é provável que o uso prolongado possa causar perdas de territórios ou alteração na distribuição de espécies.

Infelizmente, já presenciei dezenas de vezes pessoas fazendo o uso exagerado da técnica, reproduzindo sons por um longo período ou em volumes exagerados.

Veja neste link algumas dicas e recomendações importantes para o uso do playack com aves de rapina.
http://www.avesderapinabrasil.com/playback.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário