11 de março de 2016

Duas novas espécies de rapinantes para a lista de aves do Brasil

Milvus migrans no lixão de Guwahati, India.
Foto: Fábio Olmos

*por Willian Menq.

Na ultima lista do CBRO, lançada em dezembro de 2015, foram adicionadas duas espécies de rapinantes na lista brasileira, o milhafre-preto (Milvus migrans) e o esmerilhão-europeu (Falco aesalon).

A inclusão de Milvus migrans era esperada, já que Nunes et al. (2015) realizaram um registro documentário da espécie no Arquipélago de São Pedro e São Paulo/PE, localizado a cerca de 1.100 km da costa nordestina. Lá, os autores fotografaram um indivíduo adulto, que permaneceu na ilha por 32 dias, desaparecendo no final da estação chuvosa. Segundo eles, o indivíduo aparentava estar saudável e foi observado predando filhotes de aves marinhas. Provavelmente a ave saiu de sua rota migratória devido aos fortes ventos sudoeste responsáveis pelo deslocamento de várias outras aves do Velho Mundo para os arquipélagos do Atlântico equatorial oeste.

Já o esmerilhão-europeu (Falco aesalon), típico do Velho Mundo, é um split (divisão da espécie). Trata-se de uma espécie comumente classificada como subespécie do esmerilhão (Falco columbrarius). Porém, o CBRO (2015), baseado no artigo de Fuchs et al. (2015), considerou F. c. aesalon como espécie plena. Ambos os táxons contam com registro no Brasil, F. aesalon conta com um registro antigo, de uma fêmea capturada a bordo de um navio na costa da Bahia em 1963 (Baars-Klinkenberg & Wattel 1964); enquanto que F. columbarius é um migrante regular na região amazônica, oriundo da América do Norte.

Por enquanto, outros autores e comitês, como o SACC, não adotaram a elevação de F. c. aesalon para espécie plena.

Um comentário: